O que muda com o Novo Marco Legal da Geração Distribuída no Brasil.

18 fevereiro 2022

O que muda com o Novo Marco Legal da Geração Distribuída no Brasil.

Postado por Flavio LangoniTags Acesso Brasil Seguros,ANEEL,CGH,geração distribuida,novo marco de geração distribuida,PCH,

Novo Marco Legal da Geração Distribuída
Foi sancionada a Lei 14.300/22, e institui o marco legal da Geração Distribuída. O texto foi sancionado com dois vetos, que serão analisados posteriormente pelo Congresso Nacional.

A lei permite às unidades consumidoras já existentes e as que protocolarem solicitação de acesso na distribuidora em 2022, a continuação, por mais 25 anos, dos benefícios hoje concedidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) por meio do Sistema de Compensação de Energia Elétrica (SCEE).

Também define as regras que prevalecerão após 2045 e quais serão as normas aplicáveis durante o período de transição.

Geração Distribuída
A Geração Distribuída (GD) nada mais é do que a produção descentralizada de energia no mesmo local de consumo, ou próxima a ele, estando a geração e consumo na mesma Distribuidora. Essas modalidades permitem a consumidores produzirem a própria energia que utilizam a partir de fontes renováveis. Saiba mais lendo um de nossos textos do blog sobre o que é Geração distribuída

Afinal o que muda?
Apesar de sua importância para o Setor Elétrico, a GD não possuía lei própria que pudesse trazer a necessária segurança jurídica para os agentes que atuam nesse segmento e permitir o seu crescimento de forma sustentável.

Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), mantidas as regras vigentes até então, a GD implicaria em subsídios que resultariam na transferência de R$55 bilhões em custos aos demais consumidores em 15 anos.

O marco legal da Geração Distribuída foi longamente discutido no Congresso Nacional com a participação da sociedade e de diversos atores – associações, consumidores, órgãos e entidades do setor.

Acompanhe algumas definições:
Mini e microgeradores

O texto define que microgeradores são aqueles que geram até 75 kW de energia por meio de fontes renováveis (como a fotovoltaica, a eólica e a de biomassa, entre outras) em suas unidades consumidoras (como telhados, terrenos, condomínios e sítios). E que os minigeradores são os que geram mais de 75 kW até 10 MW por meio de fontes renováveis.

Transição

A Lei 14.300/22 estabelece uma etapa de transição para a cobrança de tarifas de uso dos sistemas de distribuição por parte de micro e minigeradores. Até 2045, micro e minigeradores existentes pagarão os componentes da tarifa somente sobre a diferença — se esta for positiva — entre o consumido e o gerado e injetado na rede de distribuição, como já ocorre hoje.

A regra também valerá para consumidores que pedirem acesso à distribuidora em 2022, por meio do Sistema de Compensação de Energia Elétrica (SCEE). Além disso, o marco legal permite a participação no SCEE de empreendimentos criados para esse fim que tenham o objetivo de atender várias unidades consumidoras (como condomínios).

Há uma transição de sete a nove anos no pagamento dos encargos de distribuição por aqueles que começarem a geração após 12 meses da nova lei. Esses pagamentos são relativos à remuneração dos ativos do serviço de distribuição, da depreciação dos equipamentos da rede e do custo da operação e manutenção do serviço.

Para as unidades que protocolarem as solicitações de acesso entre o 13º e o 18º mês a partir da publicação da lei, o texto prevê que essas novas regras entrarão em vigor a partir de 2031. Há ainda benefícios para cooperativas de natureza rural.

Fica proibida a divisão da central geradora em unidades de menor porte, visando se enquadrar em limites de potência para micro ou minigeração.

Programa social

A lei também cria o Programa de Energia Renovável Social (PERS), destinado a financiar a instalação de geração fotovoltaica e outras fontes renováveis para consumidores de baixa renda. Os recursos devem ter origem no Programa de Eficiência Energética (PEE).

Sobrecontratação involuntária

A lei prevê que as distribuidoras de energia poderão considerar a energia inserida no sistema pelos micro e minigeradores como sobrecontratação involuntária para fins de revisão tarifária extraordinária. Também prevê que, mesmo que um micro ou minigerador consuma muito pouco em um determinado mês, ele ainda pagará um valor mínimo (para minigeradores, vale a demanda contratada).

Bandeiras tarifárias

A lei também prevê que as bandeiras tarifárias incidirão somente sobre o consumo a ser faturado, e não sobre a energia excedente usada para compensar o consumo.

As bandeiras tarifárias (verde, amarela e vermelha 1 e 2) são acréscimos na conta de luz quando a energia fica mais cara — devido, principalmente, à necessidade de acionar termelétricas movidas a combustível fóssil para suprir a demanda.

Iluminação pública

Além disso, a lei permite a participação das instalações de iluminação pública no Sistema de Compensação de Energia Elétrica (SCEE), devendo a rede de um município ser considerada como unidade consumidora.

Vetos
Foram vetados dois artigos da nova lei. Um deles é o que classificava como micro ou minigerador as unidades flutuantes de geração fotovoltaica instaladas sobre lâminas d’água. O governo alegou que essa medida resultaria em custos extras de R$7 bilhões e que estes seriam repassados de grandes investidores aos consumidores.

Também foi vetada a inclusão de projetos de minigeração distribuída no Regime Especial de Incentivos ao Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi). Segundo o Ministério da Economia, estender essa política de benefícios fiscais à minigeração não é adequado porque o Reidi tem foco em projetos de infraestrutura que tendem a proporcionar aumentos de produtividade econômica significativamente maiores que aqueles proporcionados pelos minigeradores. O governo também alega que, na prática, isso seria uma nova renúncia fiscal, para a qual não haveria estudos de impacto fiscal ou medidas compensatórias, o que iria contra a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Os vetos serão analisados pelo Congresso Nacional, em sessão a ser marcada. Para serem derrubados, são necessários pelo menos 257 votos de deputados e 41 votos de senadores.

Se você deseja saber como evitar desperdícios na sua empresa em relação à energia, temos um post com dicas e soluções que a Quanta oferece para reduzir esses impactos: Como economizar energia

Mais informações e Fontes
Acesse a Lei Nº 14.300 e saiba mais sobre o novo marco legal da Geração Distribuída.

Com informações da Agência Câmara de Notícias e Ministério de Minas e Energia

Últimos Posts
Leilão com investimento previsto de R$ 3,27 bi tem minuta de edital aprovada pela ANEEL
ANEEL e ANA aprovam norma conjunta sobre operação de estações hidrológicas em hidrelétricas
ANEEL aprova metodologia provisória para o cálculo de constrained-off para geração fotovoltaica
Informações sobre o Leilão de Transmissão 01/2022 é publicado pela ANEEL
Leilão realizado pela ANEEL e CCEE atrai mais de R$ 7 bilhões em investimentos para geração de energia renovável
Leilão de Transmissão 01/2022, com investimento previsto de R$ 15,3 bilhões, é confirmado para 30 de junho
Edital de leilão de transmissão com investimento estimado de R$ 2,7 bilhões entra em consulta pública
ANEEL abre consulta para subsidiar aprovação do Edital dos Leilões de Energia Nova A-5 e A-6
Bid Bond: garantia e vantagens na participação dos leilões de energia.
Diretoria da ANEEL aprova o edital
do Leilão de Geração A-4 de 2022,
com 75 GW em projetos cadastrados.
ANEEL aprova exigência de garantias financeiras no Mecanismo de Venda de Excedentes de energia
Brasil ultrapassa marca de 10 GW em micro e minigeração distribuída
ANEEL inicia campanha de Fiscalização de Segurança de Barragens
Nova Diretoria ABRAPCH
Acesso Brasil na V Conferência Nacional de PCHs e CGHs
ANEEL abre consulta sobre normas para outorga de fontes eólica, fotovoltaica e termelétrica
Aneel inicia campanha de fiscalização de usinas em implantação
O que muda com o Novo Marco Legal da Geração Distribuída no Brasil.
Acesso Brasil na Faex Energy
Proposta de edital para o Leilão de Energia Nova A-4 de 2022 entra em consulta pública
Acesso Brasil na FAEX Energy
Brasil termina 2021 com maior acréscimo em potência instalada desde 2016
DESPACHO ANEEL Nº 68.2021 – ATUALIZAÇÃO DOS VALORES PARA APORTE DAS GARANTIAS DE REGISTRO INVENTÁRIO E FIEL CUMPRIMENTO 2022
Consumo de energia elétrica cresceu 4,1% em 2021
Níveis no Sudeste sobem 0,4% e chegam a 38,2% da capacidade
MME publica calendário de leilões até 2024
Seminário da ANEEL debate geração de energia a partir de resíduos sólidos urbanos
Você sabe quais as vantagens em contratar um Seguro Riscos de Engenharia?
Furnas inaugura em Itumbiara a sua primeira usina de hidrogênio verde
ANEEL e CCEE realizam Leilões de Energia Existente nesta sexta-feira, às 10h
SENADO APROVA EM DECISÃO TERMINATIVA NOVO PROGRAMA PARA INCENTIVO ÀS FONTES EÓLICA E SOLAR
Primeiro Leilão de Transmissão de 2022 entra em consulta pública
Leilão de Transmissão com investimento de R$ 2,9 Bilhões é confirmado
Usinas hidrelétricas geram e estocam energia de forma mais eficiente, limpa, barata e segura.
Projeto de Lei propõe programa de incentivo ao Biogás
A Importância do uso do EPI na Construção Civil.
ONS: outubro começou com aumento de chuvas no SE / CO e SUL
Apagão no Rio de Janeiro e em Minas Gerais será investigado pelo ONS
Sozinho, homem cria usina hidrelétrica capaz de abastecer 300 casas ao mesmo tempo no Alaska.
Governo prepara leilão de reserva com foco em garantir suprimento em 2022
Construção de PCHs no Brasil deve avançar 30% após lei fixar contratação mínima
O que é o Seguro Riscos Diversos de Equipamentos e porque sua empresa deve investir nele.
Demanda por energia sobe 3% em julho, afirma CCEE
ANEEL homologa resultado do leilão de transmissão.
O risco de falhas profissionais com a retomada das obras de infraestrutura. Como se proteger?
Brasil registra novos recordes de geração de energia eólica média e instantânea.
Paraná agiliza licenciamento para produção de energia limpa.
Brasil chega a 19 GW de capacidade instalada de energia eólica
Flexibilização de restrições hidráulicas e outras medidas asseguram abastecimento
Investimento em energia deve somar US$ 1,9 trilhões
ANEEL aprova edital dos leilões A-3 e A-4
Brasil pode se tornar maior hub de energia renovável do mundo.
Porto do Pecém embarca maior pá eólica da história.
DICA: A prevenção de incêndios nas subestações elétricas.
Sancionada a nova Lei das Licitações. Entenda.
Tags
#AcessoBrasilSeguro#acessobrasilseguros#barragem#energialimpa#leilaoA-6#leilaoenergianova#segurancadebarragem11 de dezembroabastecimento de energiaABRAPCHAcesso Brasil na FaexAcesso Brasil SegurosACIXaeris energyAgência Internacional de EnergiaAGPCHagricultoragriculturaagronegóciosamapáAMIPCHanderson cardosoAnderson Cardoso Diretor Comercial AbrapchANEELANEEL autoriza teste de CGHapagãoapagão em minasApagão no Amapáapagão no rio de janeiroAPESCAporte de Garantia de Registro em 2021APRABCHaraxáÁrea de Reflorestamentoassessoria acesso brasil segurosatualização de valores para aporteavaliação de riscoB3Bid BondBidBondbienio 2022/2024biogásbndesBrasil pode ser o maior hub de energia renovável do mundoBRDEcampanha de fiscalização 2020câncer de próstataCapacidade dos reservatóriosCarta Fiançacceeceo acesso brasil segurosCGHcghschuvas em outubrocombate ao câncercomercialização de energiacomplexo solar de janaúbacompra e venda de energiaconsorcio BRE 6construção civilConstrução de PCHs no Brasil deve avançar 30%consumidores livres de energiaconsumo de energiaconsumo de energia eletricaconsumo de energia em 2021consumo de energia no mercado livreconta de energiacorretor de seguroscorretora de seguroscovid-19crise hídrica 2020crise hídrica brasileiracrise hídrica e geração de energiademanda por energiadespacho aneeldia da árvoredia do agricultordia do clientedia do engenheiroDica Acesso Brasildicas para usinas de energiaDiretoria da AneelEmpresarialEnergiaEnergia EficienteEnergia Elétricaenergia eólicaenergia eolicaenergia fotovoltaicaenergia limpaEnergia novaenergia renovávelenergia solarEngenhariaentrevistaEOLEOL e UFVEPEEPIseplequipamento de proteçãoespecialistaespecialistas em seguros para energiaetapa onlineevoluçãoExecução FiscalExecução TributáriaExecutivos e AdministradoresExpertise Acesso Brasilfaculties samefaculties same timefaex energyFeliz Natal 2015Fiscalização de Barragensfiscalização de usinasfiscalizção de segurança de barragensflexibilização de restrições hidraulicasfurnasGarantia de ParticipaçãoGarantia de RegistroGarantias Financeirasgeração de energiageração distribuidaGoiásGoverno FederalHabilitação técnicaHidrelétricaHIDRELETRICAHidrelétrica Belo Montehidrogênio verdehomem cria pch independenteinauguraçãoInformação para fiscalização de barragensinformativo Acesso Brasilinformativo energiainformativoacessobrasilInventárioInvestimentos em energiaitumbiaraIV Conferência Nacional 2020JudicialJudiciáriojuniorjunior collegeLaudo SPDALei das LicitaçõesLeilão a-3Leilão A-4leilão a-4 2022Leilão A-5Leilão A-6Leilão ANEELLeilão ANEEL 2020Leilão de Energia Elétrica ANEELleilão de energia novaleilão de energia nova 2022Leilão de Geração de EnergiaLeilão de Transmissão 2021leilão de transmissão 2022Leilão de Transmissão de EnergiaLeilão Energialeilões aneelLeilões de Geração A-3 e A-4 2021leilões de rodovias federaisLicenciamento AmbientalLucros CessantesMacapámaior pá eólica da históriaMaior potencia instalada desde 2016maior usina solar da america latinaManual de AporteManutenção Preventiva em UsinasMecanismo de Venda de Excedentes de energiaMetas e tarefas do setor elétrico para 2021micro geração de energiaminigeração de energiaMinisterio da AgriculturaMinistério de Minas e Energiamp 998naturezanewsníveis dos reservatóriosNormas para outorganormativa da aneelnoticiasnoticias setor energéticonova diretoria abrapchnova lei 14.133/21nova lei das licitaçõesnovembro azulNovidades do setor energeticonovo marco de geração distribuidaOliveira de Brejinhosonspá eólica de 80 mPandemiaPara-raiosParanápatrimonioPaulo ArbexpcgPCHPCH BedimPCH'spchsPequenas Centrais Hidrelétricaspl 3975/2019porto do pecémprevençãoprevenção a incendiosprevenção de incêndios em subestações elétricasprograma de incentivo à energiaProinfaProjeto de LeiProteção de Patrimonioproteção na obraquarta conferencia nacional de pchs e cghsquinta conferencia nacional de pchs e cghsRC ObrasReceita Federalrecordes de geração de energia eólicaregistro de inventárioreservatórios de usina hidrelétricaResponsabilidade CivilResponsabilidade Civil Obrasretomada da economiarevista relatorio coberturaRisco de EngenhariaRISCO HIDROLÓGICOrodovias federaissecondary collegeseguradorasegurança no trabalhoSeguro D&Oseguro de equipamentosSeguro de índiceseguro de vidaSeguro FlorestaSeguro FlorestalSeguro GarantiaSeguro Garantia de ParticipaçãoSeguro Garantia do LicitanteSeguro Garantia Judicialseguro para agronegóciosseguro para energia eólicaseguro para energia fotovoltaicaseguro para energia hidrelétricaseguro para energia renovávelseguro para energia solarSeguro Paramétricoseguro rdseguro riscos de engenhariaseguro riscos diversos de equipamantosSeguro RuralSegurosseguros compreensivosSeguros para Administradoresseguros para cghsseguros para energiaseguros para energias renováveisseguros para engenhariaSeguros para Executivosseguros para pchsseguros para setor energéticosenadoSENADO FEDERALsetor elétricosetor fotovoltaicosuprimento de energiasusepTecnologiatermografiatermografia elétricaTRTTurbinaUHEUsina Belo MonteUsina Hidrelétricausina solarusinas hidrelétricasXanxerê